Oração espontânea com imagens

Oração espontânea

     Os catequistas usam-na cada vez mais, mesmo durante o encontro, quando se cria um momento de diálogo  natural com Deus. Mas,… como tudo aquilo que é espontâneo, também a oração espontânea deve ser cultivada; de outro modo, pode cair rapidamente na repetitividade e na banalidade, perdendo todo o seu significado. Neste caso, as crianças continuam a dizer sempre as mesmas coisas, a “rezar pelo avô que está doente”, mesmo quando já se curou ou foi sepultado.

     Aí entra a nossa “fototeca”. Podemos dividir as imagens em 4 tipos diferentes, conforme o tipo de oração que usaremos (se conseguirmos cartolinas de cores diferHPIM6861entes, usar uma cor por cada tipo):

     – Oração de louvor: imagens de coisas, de pessoas e de situações particularmente belas: um pôr-do-sol, uma flor, uma mulher bonita, uma criança, um velho tranquilo, um rio, o mar… HPIM6862

     – Oração de meditação: imagens de coisas, de pessoas e de situações que  estimulem a reflexão: uma paisagem de montanha, um céu transparente… que nos levem a fazer opções para nos pormos do lado dos mais fracos, que só conseguem viver com a ajuda de pessoas generosas e disponíveis: uma criança cheia de brinquedos e outra cheia de moscas, um cruzamento de estradas, alguns sinais de trânsito… Este tipo de oração não está muito afastado da realidade quotidiana de crianças e adolescentes que, na escola, na brincadeira e no bairro, vêem as crianças e os adolescentes menos afortunados ser gozados e maltratados pelos mais fortes.HPIM6863

     – Oração-pedido de ajuda e de perdão: imagens de coisas, de pessoas e de situações difíceis: um pobre, uma criança abandonada, um hospital, um faminto, uma casa destruída, uma pessoa assassinada… Certamente, não faltarão fotos! São inúmeros os motivos que surgem continuamente diante dos nossos olhos para pedirmos ajuda e perdão a Deus pelo que não conseguimos fazer, como indivíduos e como família humana.HPIM6864

     – Oração de acção de graças: imagens de coisas, pessoas e de situações  particularmente boas: uma árvore de fruto, uma caldeirada de peixe ou de cabrito, um casal de pais, uma avozinha feliz, um solar minhoto ou transmontano, um comboio ou um avião, uma loja de roupa, um médico a visitar um doente…

 

Como fazer a oração

     Colocamos os participantes em círculo e, feita a devida introdução, procedemos com esta técnica:

     1. Pede-se silêncio, explicando que ele é o meio indispensável para “recarregar” o nosso coração e o nosso cérebro.

     2. Calmamente, faz-se passar as fotos pelas mãos de todos. Cada qual toma a fotografia, observa-a e passa-a ao vizinho. Depois, outra e outra, até que todas tenham sido vistas e tenham regressado ao catequista.

     3. O catequista “direcciona” delicadamente a reflexão: “Debaixo dos nossos olhos tivemos fotografias de coisas belas que abrem o nosso coração e que gostaríamos de ver sempre.” (Naturalmente, esta introdução será diferente consoante o tipo de oração que se quiser fazer e o tipo de fotos que passaram de mão em mão.)

      4. Inicia-se outra volta de fotos, durante a qual cada um fica com a que gostar mais, passando as outras ao vizinho. No fim desta volta, cada participante deve ter na mão uma só foto. O catequista recolhe as restantes e guarda-as.
     Pergunta: “E se alguém quisesse escolher uma foto que outro já tem?” Resposta: “Escolherá outra, aquela que, das restantes, mais gostar”.

      5. Sempre num ambiente do máximo silêncio [música calma ambiente ajuda], quem quiser começar a falar, seguirá um esquema prefixo: “Na minha foto, vejo uma criança a mamar no seio da sua mãe. A criança parece muito feliz e a mãe contente. Louvo o Senhor pelas mamãs que nos dão o seu amor desde que somos pequeninos”. Todos compreenderão facilmente de que fotografia se trata porque todos também a viram, poucos minutos antes.
      “Na minha foto, vejo um menino a correr de bicicleta. Louvo o Senhor porque os meus pais me compraram uma bicicleta muito bonita e sinto-me feliz como o menino da fotografia.” E assim por diante.
     Se houver algum que não tenha coragem de intervir, o catequista ajuda-lo-á a superar a dificuldade da maneira que considerar mais oportuna.
     Nas primeiras vezes que se fizer este tipo de experiência convirá que seja o catequista a iniciar com a sua foto. Mas atenção: ao ajudar algum membro do grupo, o catequista e outros adultos eventualmente presentes farão a oração com aquele que tem dificuldade; e não deverão rebocá-lo, do género: “diz comigo…”

     6. Quando todos tiverem orado, canta-se alguma coisa adaptada à circunstância ou, se não for possível, far-se-á uma oração em conjunto. No nosso caso, bastaria recitar bem o Glória ao Pai.

     Este exercício, repetido várias vezes, levará as crianças a orar com as imagens que os seus olhos encontrarem na sua vida de todos os dias.

Sugestão aos catequistas orar

     Não seria mau que o grupo de catequistas também experimentasse este tipo de oração antes de o propor às crianças e aos adolescentes. Poderia substituir um daqueles encontros em que se fala, fala, fala…

     Será muito bom e proveitoso que os catequistas organizem para si um encontro de oração deste género com as fotografias das crianças e dos adolescentes da paróquia. Será uma experiência de que não esquecerão facilmente.

adaptado de Ó CATEQUISTA, MEU CATEQUISTA! de Tonino Lasconi

One response to this post.

  1. Posted by karen on 28/04/2012 at 12:53

    Meu Jesus, os profetas voa anunciaram como Prícipe da Paz.

    Os anjos anunciaram a paz aos homens, por ocasião de vosso nascimento. Morrestes na cruz para consolidar a paz entre Deus e os homens.”A Paz esteja convosco!” dissestes aos Apóstolos, no dia da ressurreição. Aos memsos Apóstolos ordenastes: “Quando entrardes em alguma casa, dizeri: a paz esteja nesta casa”.

    Senhor, fazei entrar a paz em nossa família. Que haja união, compreensaõ e amor.

    Dai-me, especialmente a mim, o espírito de humildade e paciência para com a minha esposa (ou esposo), amor e carinho para com meus pais e sogros, dedicação aos meus filhos e bondade para com todos emn casa. Fazei que os irmãos se tratem como verdadeiros irmãos.

    Ajudai-nos a conservar a paz na família para mercermos a paz definitiva no céu. Amém.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: